sexta-feira, 29 de março de 2019
Oi pessoal, como já tinha falado no vídeo de Diário de Leitura, hoje tem resenha do último livro da trilogia Os Artifícios das Trevas, Rainha do Ar e da Escuridão!
Comentei no vídeo que como comprei pela pré venda no Amazon e usei cupom de desconto não tinha certeza se ainda estava disponível (comprei por esse link), mas tem um site maravilhoso que acompanho há muito tempo e dá todas as notícias relacionadas a Cassandra Clare e seus livros, o Idris.
A minha edição veio com capítulo extra (Um Amor que Nunca se Esgota, continuação do conto presente em Senhor das Sombras) e ilustrações, além do pôster e marcador de páginas.
Eu não entendi direito até agora quando foi a data de lançamento, só sei que meu livro chegou dia 02/03 e dia 08/03 eu já tinha acabado minha leitura.
Eu gosto que os livros da autora são escritos intercalando os capítulos entre os personagens, assim a leitura fica dinâmica e impossível de parar! 
São muitas emoções misturadas, tristeza, emoção, raiva, alegria... tudo junto!
Rainha do Ar e da Escuridão começa um pouco depois dos acontecimentos de Senhor das Sombras, os primeiros capítulos são muito tristes e difíceis, inclusive temos um fantasma que eu não esperava aparecendo!
O livro fala muito sobre política, governo, funcionamento da Clave, questões financeiras (bem no finalzinho), temos uma tomada de poder que pode levar a uma guerra civil, já que o novo Inquisidor está colocando os Caçadores de Sombras uns contra os outros e contras os membros do Submundo, principalmente contra as Fadas.
Em um certo momento temos uma reunião com representantes dos principais Institutos do mundo todo e temos uma representante brasileira, do Instituto de São Paulo! Amei!
O livro tem muito romance, chegando ao posto de pesar um pouco e ficar parecendo um conto erótico hahaha
A Cassandra Clare trata assuntos considerados tabus com muita naturalidade, seja sexualidade, gênero, raça, corpo. Não é pra lacrar, essas pessoas existem e representatividade é importante. 
Ilustração por Cassandra Jean
Por exemplo, temos a Drusilla Blackthorn, uma Caçadora de Sombras que não é magra e mesmo assim é uma ótima guerreira! Nesse livro ela tem uma importância maior, é muito triste ver como ou ela é hipersexualizada ou menosprezada por não ser magra.
Nesse livro eu não acho que temos um protagonista e sim núcleos principais que vão se alternando.
Ilustração por Cassandra Jean
O livro é grande porque só da família Blackthorn são 7, mais os outros personagens!
Ilustração por Cassandra Jean
Temos o núcleo da Emma e do Julian tentando resolver a situação dos dois como Parabatai e com a Clave.
Ilustração por Cassandra Jean
Temos também Tiberius e Kit tendo a pior das ideias e uma amizade linda! O desenvolvimento da relação deles é muito interessante. Sabemos mais sobre a descendência do Kit e ser um Herondale não é nem metade do que ele é, a história vai muito além e muito mais complicada.
Ilustração por Cassandra Jean
Temos também a relação do Mark, Cristina e Kieran se desenvolvendo, e é curioso como nos primeiros livros eu não gostava do Kieran e depois de conhecer melhor sua história e família ficou difícil não simpatizar com ele. 
Tudo que acontece na Corte (Seelie e Unseelie) é incrível, sabemos mais sobre o Rei e a Rainha, seus filhos, a tentativa de unir as cortes.
Ilustração por Charlie Bowater
Temos também um personagem novo, mas não posso comentar muito sobre ele para não dar spoiler. O nome dele é Ash, sabemos sobre os pais dele e é só isso que vou comentar!
Outro núcleo maravilhoso e surpreendente é da Diana com o líder da Caçada Selvagem, o romance deles é tão lindo!
E temos a volta de um dos melhores, mais presente e importante personagem, o mais amado desde o primeiro livro, lá em Instrumentos Mortais: Church!
Ilustração por Cassandra Jean
Ilustração por Alice Duke
Já tinha comentado nesse post sobre a importância do Julian e como ele é um líder e guerreiro incrível, ele cria um exército com direito a estandarte e faz um discurso maravilhoso que tem tudo a ver com o lema da família Blackthorn: "Lex malla, lex nulla" ou seja, uma lei ruim não é lei.
Não estamos sugerindo a destruição do governo, estamos dizendo que ele está sendo destruído agora, já, de dentro. A Clave foi feita para dar voz a todos os Caçadores de Sombras. Se todos perdemos a voz, então não é nosso governo (...) Quando as Leis são transgredidas para colocarem um inocente em perigo, ela não é nossa Lei.
O final do livro foi agridoce, alguns personagens tiveram um final feliz, outros não era o que eu esperava, algo acontece a Clave e o resultado vai mudar tudo para os Caçadores de Sombras e membros do Submundo, tem muito ainda para acontecer, muitos ganchos para mais histórias! Quero saber mais sobre os membros mais jovens da família Blackthorn, sobre o Kit, Kieran, Scholomance.
Me contem o que vocês acharam do livro, quem também já leu ou quer ler, não deixem de conferir o vídeo e é isso!
Até o próximo post!

0 comentários:

Quem sou eu

Minha foto
Farmacêutica, blogueira, youtuber, mineira de Juiz de Fora, apaixonada por maquiagem e dividir experiências!

Pesquisar

Todas as postagens

Youtube

Facebook

Tecnologia do Blogger.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...